Murphy & sua influência sobre Darth Vader e Raul Seixas

O lado negro da força transformou Darth Vader no Jedi do Mal.  Raul Seixas conhecia o responsável por isso: O Velhinho que nasceu há 10 mil anos Atrás.

Murphy nasceu há 10 mil anos atrás, e criou o lado negro da força.

Murphy tem tamanha influência sobre o Universo que ao começar a escrever esta postagem, descobri que outro nome para a Lei de Murphy é “The Peter Principle” – pense na ironia com o autor deste artigo!

Se algo pode dar errado, vai.

Não se deixe enganar, Murphy está no lado negro da força; está na história de Raul Seixas; e vai afetar o seu próximo projeto!

Toca Raul! A sabedoria de Raul Seixas.

“O caminho do risco é o sucesso 

Assim como 

O caminho do acaso é a sorte”

(Raul Seixas, Caminhos II)

O ladro prático de MURPHY

  • Quanto tempo você leva para sair do seu trabalho e chegar em sua casa?

Se em uma tarefa tão simples, tão frequente e da qual temos tanta experiência, não somos capazes de dar uma única resposta para a duração desta atividade, por que é que insistimos em construir cronogramas baseado em médias?

O Caminho do Risco é o Sucesso

Se criarmos uma parceria com Murphy e começarmos a levar a sério flutuações e probabilidades do que pode dar certo ou errado em projetos, temos uma oportunidade de alcançar projetos de sucesso.

O Caminho do Acaso é a Sorte

Se nos deixarmos levar por um projeto que não prevê a influência de Murphy, estamos lidando com o acaso. E o resultado, já nos revelado por Raul, é – no máximo – sorte.

O Brasil, o mundo em crise. Recursos limitados, fracassos, prejuízos…

Nós realizamos projetos pelo RISCO DE DAREM CERTO, e por isso precisamos relevar a ação de Murphy sobre projetos (se algo pode dar errado, vai).

A transformação para um caminho de sucesso é a construção de cenários que nos permitam entender onde poderemos ser afetados – tanto de forma negativa como positiva – por riscos em projetos.

Algumas abordagens que consideram a influência de Murphy em projetos são o PERT, a Simulação de Monte Carlo e o Método da Corrente Crítica (CCPM).

A única metodologia que integra a criação de cenários detalhados para eventos de risco e mantém múltiplos cenários para avaliação da probabilidade de sucesso de um projeto é o SDPM – Success Driven Project Management, cujos princípios e características eu apresento nos documentos:

Uma característica curiosa do SDPM é que ele pode ser aplicado em conjunto com PERT, com Monte Carlo e até mesmo com os pulmões de CCPM.

Se você já acredita que as falhas em seus projetos não são um ataque de Murphy ou simples falta de sorte, então já compreende a importância de planejar riscos em projetos. Agora, faça isso de forma integrada em seus cronogramas.